sábado, 30 de abril de 2016

Gosto

Do bom tempo que está. Da gente e animação que vai no centro da cidade. Das tasquinhas. Da senhora das ginjinhas. Do nosso artesanato. Da nossa pastelaria. Isto é que é vida e as pessoas não sabem dar valor.

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Aos fins e aos inícios

O 25 de Abril de 1974 foi o fim de uma longa ditadura. O 25 de Abril de 2016 foi o fim de um longo Inverno. Alegria!

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Confesso que...

...adoro dias como hoje. Um dia de folga em que não me apetece (nem tenho que) sair de casa e estar a chover a potes mas ao mesmo tempo estar aquela temperatura agradável para poder estar com a janela aberta a ouvir (e ver) a chuva. Deixa-me extasiada e a pensar como o vida é bela! True story!

Coisas que adoro descobrir

Pelo tempo todo que muitas vezes se desperdiça na Internet a não ver nada de jeito, de vez em quando descobrimos alguma coisa que compensa tudo isso. É o caso do Shut Up And Go,
um blog de dois amigos viajantes e poliglotas, o Damon e a Jo, que também têm um canal no Youtube que é uma delícia. Eles são o meu novo spirit animal. Não se levam a sério e não têm pressa nenhuma de assentar, estão sempre a mudar de cidade e emprego, adoram viajar, e como são forretas, adoram não gastar muito dinheiro a fazer todas as coisas que gostam, são peritos em hostels e divertem-se com as coisas mais simples. Conheceram-se na faculdade e fazem quase tudo juntos. Hmmm, eu conheço alguém assim. 


segunda-feira, 18 de abril de 2016

De volta à pista

Não há nada como uma boa corrida ao fim do dia. Testar o corpo. Levá-lo ao limite. És tu ali com o teu desafio e a tua superação. E as pequenas preocupações do dia-a-dia ficam tão insignificantes.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Ainda no mimimi de "ai estou velha"

Aquele momento em que falam nas notícias da Beatriz Costa ter morrido há vinte anos, e tu, de facto, te lembrares de quando ela morreu. Oh God.

 

Como é que eu noto que estou a ficar adulta?

Noto por coisas como - não me demitir de um trabalho para ir fazer uma viagem, apesar de ter muita vontade para - sim, já foi tempo para isso. Apesar de ficar com peso na consciência por ficar, ficaria com mais peso na consciência se fosse. Vou ser sempre maluca como os comboios para essas coisas, mas digamos que estou a tentar, aos poucos, não ser tão "imatura" e assumir as minhas responsabilidades de pessoa adulta com o agregado de 1 pessoa (eu) e 1 gato para sustentar. A verdade é que por mais que ainda me apeteça andar por aí a desbravar, tenho que me lembrar que já desbravei bastante na idade certa para isso. Agora que já estou nos vintes e muitos (ouch), há que começar a fazer a coisa "chata" que agora até me dá um certo gozo que antes não me dava. É verdade o que dizem de aos vinte se querer mudar o mundo, e aos trinta se querer comprar um sofá.


quarta-feira, 13 de abril de 2016

Weather... weather, weather, weather...

Eu cá não me importo nada que esteja assim o tempo. Tenho muitas séries em atraso para ver. Muito texto em atraso para escrever. Muitas coisas chatas para tratar. Prioridades do momento. Afinal, ainda não é Verão.

sábado, 9 de abril de 2016

Os dias que voam sem quase nos pousarem nas mãos

Chego do trabalho, janto, passo um bocadinho com a família, vou tomar banho, seco o cabelo, estico-me na cama, ligo o pc, e fuck, já é uma da manhã... Os dias têm voado mesmo. Já me está a dar aquela coisa da velhice em que os dias parecem cada vez mais curtos e o tempo passa cada vez mais rápido.

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Eu gosto da coisa assim bem disputada

A Premier League sempre foi e continua a ser o melhor campeonato de futebol europeu. Desculpem lá Espanha, Alemanha e França. Nunca tiveram hipótese. Se os vossos clubes milionários transformaram as vossas competições caseiras num tédio. Este ano até a Liga Portuguesa está mais interessante do que as vossas, e a Liga Italiana também voltou ao seu melhor. Tudo tem um ciclo.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Eu não faço questão, não, não, não, não

Desde que regressei a Portugal, percebi que há tantos artistas e tantas coisas novas neste país que eu desconheço, que mais do que estar no estrangeiro, parece que estive presa em Alcatraz.

Ok, fui uma emigrante pouco ligada às coisas que iam acontecendo por cá, confesso. Ia lendo o JN e o Público quase todos os dias, mas a nível cultural-pop, estou tão a zeros... Quando uma colega de trabalho me falou dos artistas que vêm à semana académica cá do burgo, cheguei à conclusão que de todo o cartaz só conheço os Xutos e Pontapés (Xuuuuuuuuuutos!). A rockalheira que há em mim sabe bem que é tudo o que eu preciso conhecer nessa semana, tendo em conta os estilos musicais dos restantes.

A verdade é que da música que, pelos vistos, tem feito sucesso por cá, eu só aprecio uma parcela muito ínfima. Mas não, eu não vim aqui outra vez para desfazer disto tudo. Eu não sou apenas má língua. Pelo contrário, quando gosto de uma coisa, também grito aos quatro ventos que gosto. A verdade é que ouvir Jajões, Agires, Dengazes e coisas do género, faz-me querer assassinar sem escrúpulos tudo o que mexa à minha volta. E também já aqui pseudo-injuriei os D.A.M.A, por aquela tal música do holandês. Eu não conhecia os moços e essa foi a primeira música que ouvi deles, e digamos que não é o melhor cartão de visita.

Hoje na rádio vinha a ouvir uma música portuguesa bem engraçada, com o Grabriel O Pensador. Gostei tanto que até me deu uma epifania, o raio da música. Fui logo pesquisar o refrão para descobrir de quem era, e pois, é dos tais D.A.M.A.
É caso para dizer que me caiu o cuspo em cima.




Esta música, ironicamente, tem tanto a ver com a fase que estou a atravessar, com a mudança que fiz recentemente, e as razões pelas quais a fiz.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Olá Senhor Abril

Um dia lindo de sol e eu de folga? Até parece mentira!! (clap, clap, clap) Já estive a tomar o café na varanda com o gato ao colo feita lady. Se tirarmos a parte das cuecas e meias penduradas no estendal ao lado, é quase o cenário idílico.