segunda-feira, 15 de julho de 2013

Fériaaaaaaaas



Daqui a umas horas, see you later UK, olá Portugal!!
Duas semaninhas (mais coisa, menos coisa) de merecidas férias de Verão. É tempo de estar com a família, velhos amigos e apanhar muito sol, não que não esteja a fazer um sol do camandro também por Londres, mas pronto, nada como o sol português, e principalmente o da montanha!
Desejosa de comer vegetais e frutas da horta, e peixinho e grelhados e saladas, e beber finos a 80 cent/1€ e mojitos a 3€. Ah!
E para começar bem, três amigos à minha espera amanhã no Sá Carneiro, e dia passado pelo Porto para pôr a conversa em dia :D
Logo sigo para a terrinha matar saudades de tudo e todos, e daqui a duas semanas espero voltar a esta terrona com ainda mais energia!


quarta-feira, 10 de julho de 2013

Porque todos somos embaixadores de Portugal

Hoje no trabalho, enquanto tocava de fundo uma música que adoro, a "Another Girl" dos Wild Belle, eu comentava com a minha colega o quanto gostava deste tipo de música e principalmente de cantoras com aquele tipo de voz, e disse-lhe que me fazia lembrar uma cantora portuguesa que faz coisas em inglês. Estava a falar da Luísa Sobral (que embora as pessoas só conheçam de agora, eu lembro-me bem dela na primeira edição do Ídolos, era eu chavala)! A minha colega ficou super curiosa e pediu-me para lhe mandar uns links. Quando vou ao Youtube por algumas das canções mais conhecidas, qual não é o meu espanto e alegria quando vi que ela já foi ao Jools!
Parabéns Luísa! Continua assim, que há sempre espaço além fronteiras para talento vindo de Portugal, mais que não seja, nós emigrantes a darmos a conhecê-los aos nossos amigos estrangeiros. Eu bem vou fazendo a minha quota-parte :)



E já agora, ficam aqui os Wild Belle. Vale a pena ouvir o resto do álbum.




terça-feira, 9 de julho de 2013

Estou com olheiras até ao pescoço

Alguém que me carregue no botão "hibernar", se faz favor.


A sunday in Hampstead
















Se Hampstead era há anos atrás uma aldeiazinha nos arredores de Londres, e hoje é um bairro da capital, pode-se dizer que aquele ambiente de aldeia permanece, felizmente. Que rico bairro! Ruelas e recantos, e casas bonitas, e esplanadas grandes, e famílias felizes, e cães! E o parque! Enorme e ainda "meio" selvagem, cheio de árvores e arbustos. Assim que entramos lá dentro nem parece mais que estamos em Londres mas em pleno monte. E os lagos! Há um lago só para rapazes e outro só para raparigas... Bem engraçado, a tradição e separação mantém-se, mas se antigamente era pelos brandos costumes, hoje é pela orientação sexual. Mas também há um lago misto, onde, pelos vistos, se paga duas libras para entrar. Hmm. [Hetero paga e não refila!]

Ideal é tirar um dia inteiro para ir a Hampstead Heath, que há muito por lá que caminhar e disfrutar. Ou fazer milhentas horas de trabalho para viver numa daquelas casa e aproveitar todos os dias. Eu e os amigos já escolhemos a casa em que vamos morar cada um. Just in case. Não vá a gente ficar rica do dia p'rá noite.

sábado, 6 de julho de 2013

Song of the week #8



Também quero "perder a cabeça" em San Francico, um dia destes.

Não se nota nada que estou a fazer a minha playlist para o Verão, pois não? :)

Dates

O verão é aquela altura em que ficamos orfãos de séries. Culpa dessas HBO, CBS e afins.
Claro que consumir tv como se não houvesse amanhã é coisa para se fazer no Inverno, porque o tempo lá fora está uma porcaria e é melhor ficar em casa com um canecada de chá ou chocolate quente e uma manta a tapar as pernas.
Em Portugal, a programação durante Julho e Agosto é um tédio, quer dizer, nem existe. Não que seja melhor durante o resto do ano. Nos canais britânicos pouco se nota a diferença, com a excepção, claro, que os programas de caça talentos e reality shows também abundam mais durante o ano lectivo, principalmente entre Setembro e o Natal, época de ouro televisiva. Também o curto espaço de tempo em Downton Abbey é transmitida. Snif.
Mas no Verão também se vão apanhando umas coisas interessantes. Há sempre drama series a serem lançadas, e algumas delas bem originais.
É o caso de Dates, do Channel 4. A ideia desta série e a forma como está escrita e produzida, é a meu ver, genial. Cada episódio tem 35 minutos e gira à volta de um first date. Tudo se passa em pouco mais de dois, três cenários com apenas duas ou três personagens em cada episódio. Estas personagens vivem em Londres, e procuram um parceiro através de online dating. [Aliás, esta série acaba por incidir num tema bem actual, já que a procura de amor online é muito comum em Londres e tem cada vez mais adeptos. O outro dia li no jornal que no Reino Unido nove milhões de pessoas usam dating websites, imagino que grande parte deste número seja só da capital. Mas isto já é outra conversa. Voltando à série.]
No início da série, parece não haver nenhuma relação entre as personagens, como de facto não há, e cada episódio retrata apenas um casal e um encontro. Mas à medida que a trama se desenvolve, as estórias vão-se cruzando (já foram transmitidos nove episódios até agora).
O que eu gosto principalmente nesta série é a escrita genuína, os diálogos e o amazing acting (sem ser pretensiosa, dizer fantástica representação não tem o mesmo impacto) que nos faz sentir que estamos ali sentados à mesa com eles, a sentir aquelas palavras e aqueles silêncios na nossa própria pele. E cada personagem ilustra um diferente tipo de pessoa. Não há bons nem maus, apenas pessoas com as suas mágoas, medos e fraquezas que não querem estar sozinhos. É incrível como cada episódio me surpreende. Por isso que os acho tremendamente bem escritos. Duas pessoas sentadas a uma mesa a conversar... pensamos que não há muito que pode acontecer, certo? Mas não, a trama é imprevisível a cada minuto, e consequentemente viciante.
Não há muito mais que eu possa dizer sem dar spoilers por isso fica aqui a sugestão.
E uma sneak peek.

 

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Arctic Monkeys, raios que vos partam

Os bilhetes entraram à venda às 9h. Só passaram dez minutos. Nos quais eu andei à porrada com os sites da Ticketmaster e Stargreen. E boom, já estão off sale. Caralh@s pá.

quinta-feira, 4 de julho de 2013

Keep calm que amanhã é sexta!

 Mais uma semana daquelas. Ontem fiquei a trabalhar até à uma da manhã! A fazer o quê??! Calma, ainda não enveredei pelo ramo da prostituição. Isto é Londres. A Roxanne domina a zona.
Sales further mark down. Ou seja, saldos dos saldos! Então toca de ficar altas horas a mudar os preços. "You're working too hard" dizia-me o segurança ao ver-me a sair àquela hora. Bem sei, mas até gosto. Enquanto não arranjar melhor que fazer com a minha vida.

Hoje, a verdadeira loucura como esperado. Amanhã será ainda pior mas vá, às cinco da tarde estou de fim-de-semana e parece que este vai ser outro bem quente e solarengo. Yey!

Amanhã também vou buscar o meu pc novo (que já comprei na segunda mas adivinhei logo que não iria ter tempo durante a semana para o ir buscar) e vamos lá ver como me dou com o Windows 8, medinho. Tinha mesmo que ser. O meu prestes a ser ex (e primeiro) computador já leva mais de sete anos a aturar-me. Ainda trabalha bem, mas a muito custo. Ouvem o som de um avião a levantar? Fui eu que liguei o pc.
Vou ter saudades do meu Gaudêncio. Sim, é o nome da máquina. Tenho que começar a pensar em nomes para a nova aquisição. Um nome inglês por certo.

De resto, "hmm nada!", e nem tenho tempo para andar na Internet. [Tirando este mesmo momento em que estou a perder preciosos minutos de sono para estar aqui a escrever coisas que não interessam.] Comer e cama. Ah, e fazer o almoço para levar para o trabalho. Esta semana estou orgulhosa de mim. Mesmo com pouco tempo tenho cozinhado sempre comida para levar e fugido ao fácil sanduíche. Mas o meu quarto parece o de um miúdo de 12 anos. E ainda não consegui passar a roupa a ferro que tenho empilhada desde há umas três semanas. Sinto-me uma mãe solteira de mim própria.