terça-feira, 29 de junho de 2010

Ninguém merece...

...fazer um teste de espanhol no dia em que Portugal joga contra "La Roja"!

domingo, 27 de junho de 2010

Where I am, it's two or three times worst

Elas só têm 17 aninhos e estão prestes a entrar numa nova e excitante fase das suas vidas. Estão a transbordar de dúvidas e, ontem, lá estivémos a tentar esclarecê-las... a mostrar-lhes diferentes pontos de vista, a contar-lhes diferentes experiências e a deixar claro o que não deviam de todo fazer. Tentámos ao nosso melhor explicar-lhes que se deve procurar o que se gosta e não o que dá segurança. Que no fim, se tiver que ser, tudo fará sentido. E que nunca, mas nunca, rejeitem qualquer instante daquela que irá ser a melhor fase das suas vidas. Conversámos com optimismo, mas claro, como não podia deixar de ser, com muito realismo e não as quisémos enganar... Dissemos que agora as dúvidas e os anseios podem ser muitos, mas que nunca vão passar, vão sempre tornar-se muito piores...
"Olá! O meu nome é E., tenho vinte e poucos anos, dizem que sou adulta e eu nem dei por isso, e o que tu queres saber eu também não sei."




E lá porque queríamos a música mais baixa e elas queriam a música mais alta, não quer dizer que estejamos velhas, caramba!! :P

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Me voy a ver las ranas

Amanhã vou revisitar uma cidade que gosto muito.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

São João, São João, give me 99 red balloons!!

A noite de São João é sempre especial...
Desde que sou pequena que a minha mãe me diz que dá sorte e uma certa tranquilidade apanhar o orvalho de São João pela madrugada...
Isso implicava, quando era mais nova, levantar-me muito cedo para ir com ela dar um passeio madrugador. Hoje em dia, implica ficar na farra até às tantas e voltar de dia para casa (ser adulto até tem coisas boas).

Há um ano atrás, a minha noite de São João teve um sabor amargo-doce... Mas tive tudo o que uma tosca precisava: amigos, tintol, petiscada, mateusinhos rosé, e até direito a um pseudo-mergulho na praia fluvia durante a noite... Eu que normalmente sou mais de beber quando estou feliz, essa noite foi mesmo para afogar as mágoas, para sarar o orgulho ferido...
Já lá vai um ano que aprendi uma grande lição. Já lá vai um ano que fiz uma promessa a mim própria (e a uma testemunha) que continuo a cumprir. Vai um ano que tirei um grande peso das costas, e que relembrei o quanto prezo a liberdade :)

Este ano, o São João não podia ter sido melhor! Muitas sardinhas, muita entremeada, muito boa conversa, finos, sangria, musiquinha a condizer, muita criançada (despachámos os putos do insuflável para irmos para lá nós, shame on me) e pessoas fantásticas.
Uma noite em que também aprendi muita coisa bonita.

E é por isso que gosto da noite de São João, ano após ano, por uma ou outra coisa, acabam sempre por me marcar... E alguma magia há-de ter, porque dizia também a minha mãe que dia de São João não o é se não chover... E de facto está. A potes.


segunda-feira, 21 de junho de 2010

É engraçado...*

...estar a ver o jogo no meio de largas dezenas de pessoas num ecrã gigante com Tv por cabo em que a emissão leva 10 segundos de atraso e estar a ouvir o relato da rádio pelos fones. Levantar-me sozinha toda maluca com toda a gente a olhar para mim e ter que esperar por eles para gritar GOOOOOOOLO!
Por altura do 4º, quando me levantava, já eles "olha vamos marcar!!"
Gosto de ser mensageira das boas novas :D


créditos imagem "A Bola"


*mas o que é mais engraçado é o CR7 "homem do jogo"...ele esteve bem mas por favor......já sei! não se decidiam se atribuíam o título ao Tiago, Meireles, Coentrão ou Simão e quiseram facilitar a coisa! Ah tá-se bem ó meu!... (eu disse que o meu Meireles ia dar show!!)

domingo, 20 de junho de 2010

Há amigos com quem partilho muita coisa menos o gosto musical*

Estávamos nós mais uma vez a falar do futuro promissor do R. na GNR e eu a gozar com o seu sonho de integrar o corpo de intervenção:

Eu - "Essa é a camada gay da GNR, andam ali a dar com o bastão uns nos outros!!"

R. - "É é! Quem vai levar com o bastão és tu! Livra-te que eu te apanhe toda maluca nesses concertos do Rio Ferdinand!!"


Um grande LOL.





Fico à espera que este venha a Portugal.


*e ninguém disse que os rapazinhos que vão para a GNR não têm nada na cabeça

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Whatever works!! - a good way to go through life

Ele será para sempre um dos meus musos, e ontem enriqueci mais um pouco o "espaço Woody" que existe dentro de mim com mais este, que ainda não tinha visto:



Não é um Annie Hall mas também é muito bom!!

E agora falando destes!

Ai os pinga-amores...

Tão bons e afáveis rapazinhos... Constantemente a encantarem-se e a apaixonarem-se... desde que elas sejam giras e boas! (embora eles sempre digam que é pela sua inteligência e bom interior)
Ai os pinga-amores... Com eles é sempre a primeira vez que se sentem assim, e a primeira vez que fizeram isto ou aquilo por ela...
Ai ai os pinga-amores... são que nem abelhas atrás das flores! Embora digam que não estão p'ra fazer mel!
Ai os pinga-amores... aqueles que nunca conseguem arranjar ninguém... mas acham eles que é pelo seu coraçãozinho ser demasiado precisoso (coitadinhos).
Ninguém lhes diz, mas toda a gente sabe que eles são apenas uns pinga-amores, e que não há nada de precioso nisso...
E são assim, tão previsíveis, os pinga-amores...

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Sky is the limit


Eu - "Estou a precisar de um daqueles concertos de esbracejar e saltar como se não houvesse amanhã!!"

R. - "Chegas a casa, pões a música nas alturas, pulas como uma maluca e saltas do 1º para o 2º andar!!"


Saltar ao contrário... Isso sim é uma atitude bem rock 'n' roll :P

"And in the end, the love you take is equal to the love you make"

Durante muito tempo só eu soube, só eu reparava, só eu questionava... Este e aquele iam sabendo, depois de serem magoados. Só eu passei pelos raios e fiquei ilesa. Tempestades de outros tempos deram-me a inteligência para me manter calada e afastada, mas não menos magoada.
Agora já muitos vão sabendo e o tempo compromete-se a ser justo. "Doentio" foi a palavra escolhida para melhor definir... Eles vão dizendo que nunca imaginaram chegar aqui para ver que. Dizem que ao menos aprenderam que. Dizem que não esperavam e dizem que é uma lição que fica.

E a vida sempre nos vai ensinando a não subestimar a realidade...

domingo, 13 de junho de 2010

Unbelievable!

Unbelievable!
Unbelievable!

[Lazy Sunday to put my head up on my shoulders again...]

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Eu adivinho-as!

É um tanto ou quanto engraçado se eu relacionar os dias de ontem/hoje à forma como terminei o meu último post [o que acontece...fica guardadinho a sete chaves] e é bom ver verdades a vir ao de cima, e confesso que até sabe bem ver as pessoas a abrir os olhos da pior maneira.
Pois é, às vezes os cofres abrem-se...

terça-feira, 8 de junho de 2010

Boatos


Os belos dos boatos, sempre contados por alguém que ouviu contar a alguém que ouviu a quem viu ou o raio que o valha.
São assim os boatos, e quando nós, a chamar o nosso pedaço de consciência reagimos com um "será?? isso não é invenção?!", asseguram-nos do outro lado "não, olha que é mesmo verdade! é! é!", e nós logicamente perguntamos "mas porquê?", e os interlocutores respondem "porque é! acredita que é mesmo verdade!". É sempre assim que decorre o diálogo quando nos contam um boato.
A coisa processa-se mais ou menos assim:

1 - É sempre verdade, não se sabe porquê, e porque raio desta vez é mesmo a sério, mas é verdade!;
2 - Há sempre testemunhas oculares sem cara e sem nome, "ah e tal foi uma pessoa que os viu" ou "houve alguém que viu", ou ainda melhor "quem me contou foi o tal, mas foram outras pessoas que viram";
3 - Normalmente o tal é sempre alguém a quem já conhecemos a má formação (uau! não me digas que foram esses indivíduos plenamente confiáveis a usar da palavra??) ou alguém a quem realmente tem muito que se lhe diga;
4 - E se o boato for de âmbito sexual, normalmente o tal é masculino, e oh que eu não sou nada sexista!;
5 - Os condimentos da estória são sempre os mais picantes que possam existir, como "foi à frente de muita gente", "viram-nos noutra cidade", "foi com aquela que é gira e boa mas é burra", "foi com o patrão", "andaram a porrada, tiveram que os separar", "foi com um homem", "estava vestida assim e assim"..;
6 - São sempre sobre algo que as pessoas mais próximas dos protagonistas (família, amigos, colegas) desconhecem totalmente;
7 - Se tivermos a inteligência de o confirmar com essas pessoas, recebemos uma gargalhada como resposta;
8 - Começam em eventos sociais (é verdade, o boato é sempre contado pela primeira vez em manada), seja festas, jantares, etcétera... (eh pá, se não têm do que falar, falem do tempo!);
9 - São sobre pessoas que estão desviadas do círculo do passa-a-mensagem;
10 - Embora seja sempre a mesma pessoa a contar, as que ouvem dizem "já ouvi uns comentários sobre isso" como se tivessem ouvido de alguém que está na outra ponta do mundo e também sabe (o que dá muita credibilidade à estória);

E enfim... assim se conhece um boato. E eu não tenho pachorra para eles ou para estórias meias contadas ou meias por contar, nunca tive nem hei-de ter!
Gosto de tudo explicadinho do início ao fim, com direito a gráficos, tabelas e bibliografia.
Alguém racional me disse "os boatos são coisas que as pessoas gostam de ouvir, eu próprio admito que ficaria satisfeito se alguns que já ouvi fossem verdade, mas não são".
Eu concordo, e mais digo, não preciso de fazer 10 pontinhos e profunda análise para saber onde está um boato. Se há algo que a minha curta experiência de vida, a minha ingenuidade e os meus olhinhos incrédulos e curiosos me ensinaram é que o que não acontece sabe-se sempre, mas o que acontece... ah isso fica guardadinho a sete chaves, pois é.

sábado, 5 de junho de 2010

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Mum and Dad - part II

(Eles hoje estavam inspirados. Segundo o meu irmão, o leão devia estar em alta na tabela da Maya.)



Pai - Assim não saem da cepa torta..!

Mãe - As cepas tortas são as que dão mais uvas!!

Mum and Dad - part I (ou um outro olhar sobre a justiça)

Hora do almoço, com a televisão ligada:

Mãe - Ai agora andam outra vez a falar tanto no Carlos Cruz...
Pai - Quem é que está a falar no Carlos Cruz?!
Mãe - Então não vês que esta é a mulher dele?
Pai- Ai é..? A Carolina??

(Boa pai!)

Mãe - Tu é que estás uma boa Carolina, é a Raquel!!
Pai - Aah!!... Então já não anda com a Carolina??